guabi620

consulta ID3

App CBH

Radicada na Holanda, a amazona mineira de adestramento e medalhista pan-americana Renata Rabello Costa, 30, atravessa grande fase e a contínua evolução no esporte. São nada menos que sete os seus índices de qualificação que ao lado de Luiza Tavares de Almeida e Rogério Clementino, seus companheiros de equipe no Pan Rio 2007, devem lhe garantir a vaga no time no primeiro time de adestramento a defender o Brasil em Jogos Equestres Mundiais (JEM) em Kentucky (EUA) que esse ano chegam a sua 6ª edição.

 

Renata Rabello Costa com Monty, medalha de bronze por equipes e 11ª individual no Pan RIO 2007
 

Nascida em Belo Horizonte em 24 de agosto de 1979, Renata começou a montar na fazenda de sua família. Mas foi somente aos 18 anos que a amazona estreou nas competições, de Hipismo Rural, incentivada pela sua mãe Junia Rabello (in memorian), que muito apoiou o desenvolvimento da modalidade Concurso Completo de Equitação (CCE) no país.

Junia Rabello com sua filhas Renata e Vitória
 


"Eu pratiquei muito tempo o CCE, gostava muito e gosto até hoje, mas eu tinha um sonho de participar de um Campeonato Panamericano, Mundial ou Olimpíadas, e no CCE eu ficava sempre um pouco insegura.  Então resolvi  fazer adestramento e me apaixonei", conta Renata, medalha de bronze por equipes no Pan Rio e melhor resultado individual brasileiro na 11ª colocação.

"A medalha de bronze no Pan também garantiu ao Brasil a inédita qualificação para as Olimpíadas 2008 e a Renata foi co-responsável por essa conquista", enfatiza coronel Salim Nigri, juiz internacional e diretor de adestramento da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH). "Desde então, ela continua se aperfeiçonado com muito entusiasmo e dedicação e com resultados muito significativos no circuito europeu, colocando o Brasil entre os poucos países que tem um time qualificado para o Mundial. Hoje a Renata é uma amazona de ponta no adestramento brasileiro e circuito internacional."

 Renata ao lado de seu pai Sérgio e o namorado, o cavaleiro de Concurso Completo Ruyzinho Fonseca
 

Em entrevista à Federação Paulista de Hipismo (FPH) e CBH, Renata aponta os principais momento de sua carreira, fala de seus planos de casamento com o cavaleiro paulsita de CCE Ruy Fonseca, Ruyzinho, radicado na Inglaterra, e, é claro, da preparação para os Jogos Equestres Mundiais.

FPH / CBH. Como e onde foram os seus primeiros passos no esporte?

Renata. Eu montei na fazenda desde pequena, meus pais e meu avó gostavam de cavalos e sempre me incentivaram. Comecei a competir quando tinha 18 anos no Hipismo Rural, por causa da minha mãe e da minha irmã Vitória. Depois começamos a fazer o CCE, minha mãe Junia Rabello foi uma grande incentivadora do esporte no Brasil, e promoveu várias competições na nossa fazenda em Lagoa Sant FPH / CBH. Como e onde foram os seus primeiros passos no esporte?

 

 

Renata e sua irmã Vitória comemorando a conquista da medalha de bronze por equipes no Pan Rio 2007
 


FPH / CBH . Você também praticava CCE, o que te levou a optar pelo adestramento?

Renata. Eu pratiquei muito tempo o CCE, gostava muito e gosto até hoje, mas eu tinha um sonho de participar de um Campeonato Panamericano, Mundial ou Olimpíadas, e no CCE eu ficava sempre um pouco insegura.  Então resolvi  fazer adestramento e me apaixonei. De vez enquando ainda dou uns pulinhos no Cross, mas competir só mesmo no Adestramento.

 

Primeiros passos em competição: coragem e determinação de Renata com Cris Dama no hipismo rural
 

FPH / CBH. Esta ligação da sua familia com os esportes equetres influenciou seus irmãos a prática de alguma modalidade? Eles ainda montam hoje em dia?

Renata. Minha irmã Vitória também monta, hoje faz salto e meu irmão Guilherme joga pólo. Posso dizer que fui influenciada pela Vitória, mas quanto ao Guilherme acho que o influenciei.

FPH / CBH. Quais foram seus principais títulos nas categorias de base no Brasil?

Renata. Fui campeã brasileira de CCE Categoria 1* -  2003. No adestramento participei de uma etapa Copa Amil em 2004, e fui campeã da Média I.

FPH / CBH. No Pan RIO 2007 você obteve o melhor resultado individual integrando o time medalha de bronze por equipes. Depois desse importante resultado para o Brasil, como você avalia a inédita formação de uma equipe para os Jogos Equestres Mundiais?

Renata. O trabalho feito pela diretoria de adestramento junto com a CBH foi muito importante para o adestramento brasileiro, pois desde 2007 com a quebra do jejum de 24 anos sem medalha em Panamericano, o esporte vem crescendo e agora espero que essa formação inédita de uma equipe no Mundial, contribua também para o crescimento do nosso esporte.

FPH / CBH. Há quanto tempo e com quem você treina na Europa?

Renata. Eu estou radicada na Holanda na cidade de Valkenswaard. Treino com a Leida  Collins Strijk desde 2005 e também com o Diederik Wigmans que é o treinador da dela.

 Renata ao lado de sua treinadora Leda no Pan Rio 2007
 

FPH / CBH. Qual o seu esquema de treinamento no dia-a-dia?

Renata. Eu monto sempre meus dois cavalos: o Monty e o Ludewig, seis dias por semana e às vezes monto outros cavalos também. Faço um acompanhamento com personal trainer três vezes por semana.

FPH / CBH. Você alcançou sete índices para o Mundial. Por favor comente a importância e emoção dessas conquistas e a oportunidade de defender o Brasil no Mundial 2010.

Renata. Conquistei os dois índices necessários para o JEM em 2009, mas ainda não estava muito segura, pois tive altos e baixos ano passado com o Ludo, havia provas que eu ia super bem e em outras, muito mal. Esse ano participei de cinco Concursos Internacionais e conquistei o índice em todos os Grand Prixs. Fiquei muito feliz com a minha evolução, mas cada vez que eu termino uma prova sinto que posso melhorar ainda mais.

Renata com seu oldenburger Ludewig G a caminho do Jogos Equestres Mundiais 2010 em Kentcuky 
 
É uma oportunidade incrível poder representar o Brasil nos Jogos Equestres Mundiais. Eu me orgulho muito de tudo que conquistei até hoje, e de todo o trabalho da minha equipe como tratadores, treinadores, veterinários, ferradores, etc..

FPH / CBH.  Como está a sua programação de viagem para o Mundial? Você também vai se juntar aos outros brasileiros ainda na Europa?

Renata. Vim passar algumas semanas no Brasil, para ver a família, mas agora no início de junho já voltei para a Holanda. Valkenswaard é bem perto de Düsseldorf onde os outros brasileiros estão concentrados, com certeza vamos treinar juntos algumas vezes.

FPH / CBH. Depois do Mundial, quais os seus objetivos? Com qual cavalo você pretende disputar os Jogos Pan-americanos 2011 e as Olimpíadas 2012?
 
Renata.
Em 2011 pretendo participar das seletivas para o Pan com o Monty, cavalo com qual ganhei o bronze por equipe em 2007. Nas seletivas das Olimpíadas vou participar com o Ludewig G.

 Renata com Monty durante cerimônia de premiação no Internacional de Strassen 2009 em Luxemburgo
 

FPH / CBH. Você tem planos de voltar a morar no Brasil?

Renata. Sim quero voltar a morar no Brasil, mas ainda não tenho nenhuma data certa.

FPH / CBH. Invadindo sua privacidade... rs... como é namorar o Ruyzinho, um cavaleiro? Tem planos de casamento?

Renata. Sim quero me casar e ter pelo menos três filhos. Quanto a namorar um cavaleiro o lado ruim é que as vezes sinto vontade de me desligar um pouco dos cavalos, mas o assunto sempre acaba surgindo. Ao tempo também tem seu lado bom, pois como cavaleiro ele entende minhas dificuldades, sabe apreciar minhas conquistas e me ajuda muito no dia-a-dia e nas provas.

FPH / CBH. Que momentos especiais você guarda desta fase da sua vida como atleta?

Renata. O momento mais marcante pra mim foi quando ganhamos a medalha no Pan 2007. Antes da prova aconteceram vários imprevistos, dois titulares da equipe Pia Aragão e Jorge Rocha saíram e entraram dois reservas, o Rogério e a Luiza. Era a primeira vez de todos nós em um Panamericamo e nós conquistamos a medalha de bronze!
 
FPH / CBH. Você também teve alguma homenagem do Governo de Minas Gerais?

Renata. Quando voltei do Pan 2007, o Aécio Neves convocou todos os mineiros que conquistaram uma medalha para uma homenagem.

FPH / CBH. Qual conselho você pode dar a um jovem praticante no adestramento?

Renata. Meu conselho não vai somente para um jovem praticante do adestramento mas sim de qualquer modalidade equestre: tenha determinação e disciplina, respeite seu cavalo e aproveite cada minuto!

Renata com Mythos, seu primeiro cavalo de adestramento hoje aposentado na Fazenda em Santa Lagoa, em clique no Sunshine Tour 2007 na Espanha
 
 

FPH / CBH. Você gostaria de mencionar algo em especial?

Renata. Gostaria de agradecer o apoio incondicional da minha família!
 

Fonte: FPH e Imprensa CBH - Carola May e Rute Araújo; fotos: cedidas 
 
 
 

 

 

 

 

 

    novo logo cob 75                              52486598 2004012323016475 4886399187605782528 n              seloLeiIncentivoVertical 72

CBH - Site Oficial da Confederação Brasileira de Hipismo -
Rua Sete de Setembro, 81 - Ed. Moscoso Castro, 3º andar - CEP: 20050-005 Rio de Janeiro (RJ) - Tel: (21) 2277-9150

Horário de Funcionamento: 08:00 às 17:00 hrs - Seg. à Sex.

© Copyright 2010 - 2017 | Todos os direitos reservados | Produzido por  Magoo Digital