guabi620

consulta ID3

App CBH

A equipe brasileira de Adestramento aguardou até os instantes finais para confirmar a medalha de bronze no Pan Toronto 2015 nesse domingo, 12/7. Coube ao conjunto João Paulo dos Santos montando Veleiro do Top fechar a série totalizando 70.158%, o melhor percentual do dia do Time Brasil. Com o ouro e a prata sendo decididos pelos Estados Unidos e o Canadá, o Brasil precisou esperar pelo encerramento da participação do México.

adest brazil eventing team650

A equipe brasileira completa e com suas devidas medalhas de bronze em flash de reproduçao facebook Brazil Eventing Team

No primeiro dia de competição, os mexicanos haviam terminado em terceiro lugar, com 206.703%, contra 206.500% dos brasileiros. Neste domingo, a equipe brasileira assegurou o bronze somando 414.895 % – os mexicanos totalizaram 412.467%. Os Estados Unidos, ouro, somaram 460.506%, e o Canadá, prata, 454.938%. Esta foi a quinta medalha de ouro consecutiva dos EUA por equipes em Jogos Pan-Americanos. Ao todo, os EUA agora computam oito ouros por equipes, além das oito medalhas individuais até o momento.

timebrasil adest cob650

João Paulo dos Santos, Sarah Waddell, Leandro Silva e João Victor Oliva em flash no portal do Time Brasil / COB

“Minha alegria é enorme e a missão foi cumprida. Entrei com a obrigação de ir em busca de uma nota maior e o cavalo também esteve brilhante", disse João Paulo, que há cinco anos compete nas provas de Adestramento e há dez é funcionário do Haras Fazenda Sasa, de propriedade do português José Euzébio, localizada em São José do Rio Preto (SP). “Meu treinamento é nas cocheiras”, revela o atleta de 32 anos.

Até a entrada de João Paulo, o melhor resultado entre os brasileiros na prova era de João Victor Marcari Oliva com Xamã dos Pinhais, com 69.211%. Seguir os conselhos da mãe, a ex-jogadora de basquete Hortência, para a competição ajudou. Nada demais, na verdade, apenas manter a concentração e a confiança. Aos 19 anos, João Victor é o caçula entre os competidores da modalidade que acontece no Olg Caledon Equestrian Park.

“Fiz uma boa apresentação, mas no final tive um erro que custou bastante da minha nota. Se não fosse isso, poderíamos ter tido um resultado melhor. Mas fiquei contente. O cavalo também respondeu bem”, avaliou João Victor, que contou com a torcida do pai José Victor Oliva. O jovem melhorou o resultado obtido no sábado, 11/7, quando somou 69.184%. “Fico mais nervoso assistindo do que quando estou competindo. O nervosismo deixo do lado de fora para quem está acompanhando”, garantiu João. 

O experiente Leandro Silva, único da equipe que participou dos Jogos de Guadalajara, há quatro anos, foi o primeiro brasileiro a se apresentar montando Di Caprio totalizando 69.026%. Em seguida, foi a vez de Sarah Waddell com Donelly 3, que fechou com 67.184%.

Sandra Smith de Oliveira Martins, diretora de Adestramento da Confederação Brasileira de Hipismo, também comentou o desempenho da equipe. "O resultado é fruto de um trabalho muito sério e toda atmosfera e união dos representantes do Adestramento brasileiro. No Odesur - Campeonato Sul-Americano fomos ouro e agora subimos mais um degrau com a medalha Pan-americana. Em nome da CBH parabenizo a nossa equipe. É muito bom ver os jovens evoluindo e aparecendo cada vez mais no cenário internacional", disse Sandra.

No Pan de 2011, em Guadalajara, o Brasil conquistou a quinta colocação por equipes. O Adestramento brasileiro tem quatro medalhas em Jogos Pan-Americanos, todas de bronze, sendo três por equipe - México 75, Caracas 83 e Rio 2007 - e uma individual: em Caracas 83, com Orlando Facada.

Nessa terça-feira, 14/7, será decidido o pódio individual com os Freestyle Grand Prix e Intermediaria I. Habilitam-se para a competição, os 50% melhores classificados de cada uma das séries Grand Prix / Grand Prix Special e São Jorge / Intermediaria I. O misto de níveis é algo inédito em Jogos Pan-americanos que chegou a sua 7ª edição em 2015 e aproxima a competição do nível olímpico.

Um total de total de 10 equipes esteve no picadeiro e atrás dos medalhistas EUA, Canadá e Brasil, vieram o México, em 4º lugar, 403.094 %, Argentina, 5º, 403.094%, e Colômbia, 6º, 396.684 %.

Individual - Intermediaria I e Grand Prix Special

1º Laura Graves / Verdades - EUA - 77.177%
2º Kimberley Herslow / Rosmarin - EUA - 77.158%
3º Christopher von Martels / Zilverstar - CAN - 76.210%
11º João Paulo dos Santos / Veleiro do Top - 70.158%
14º João Victor Marcari Oliva / Xamã dos Pinhais - 69,211%
15º Leandro da Silva / Di Caprio - 69,026%
19º Sarah Waddell / Quixote Donelly - 67,184%

adestramento bronze550


Bronze - Brasil - 414,895%

Leandro da Silva / Di Caprio - 69,026% 
Sarah Waddell / Quixote Donelly - 67,184% 
João Victor Marcari Oliva / Xamã dos Pinhais - 69,211% 
João Paulo dos Santos / Veleiro do Top - 70.158%

Ouro - EUA - 460.506 %

Sabine Schut-Kery / Sanceo - 73,553%
Kimberly Herslow / Rosmarin - 77,158%
Laura Graves / Verdades - 77,177%
Steffen Peters / Legolas 92 - 72,667%

Prata - Canadá - 454,938%

Christopher von Martels / Zilverstar - 76,210%
Brittany Fraser / All In - 76.079%
Megan Lane / Caravella - 71,392%
Belinda Trussell / Anton - 75.078%

Fontes: COB, FEI e CBH - versão Carola May

    novo logo cob 75                              52486598 2004012323016475 4886399187605782528 n              seloLeiIncentivoVertical 72

CBH - Site Oficial da Confederação Brasileira de Hipismo -
Rua Sete de Setembro, 81 - Ed. Moscoso Castro, 3º andar - CEP: 20050-005 Rio de Janeiro (RJ) - Tel: (21) 2277-9150

Horário de Funcionamento: 08:00 às 17:00 hrs - Seg. à Sex.

© Copyright 2010 - 2017 | Todos os direitos reservados | Produzido por  Magoo Digital